Sistemas avançados de vigilância eletrônica

A vigilância eletrônica é a observação de pessoas, carros, animais e outros objetos de relevância, em tempo real, com a descrição de suas atividades e interações e a respectiva classificação de seu potencial de periculosidade. Os sistemas de vigilância evoluíram da simples transmissão de imagem passando pela detecção de movimento e reconhecimento facial. Com as novas tecnologias usando Internet das Coisas (IoT – Internet of Things), sensores remotos e sistemas de coleta e análise de grandes volumes de dados em tempo real a vigilância eletrônica entra em um novo estágio.

A vigilância apenas com câmeras instaladas em pontos estratégicos não é suficiente para coibir atos de violência e proteção do patrimônio. Centros de controles com monitores de TV mostrando imagens de vias, praças e outros locais públicos tornam quase impossível a monitoração de grandes áreas devido a própria limitação da observação simultânea de todos as câmeras instaladas. Os sensores de movimentos são ineficazes em regiões de constante movimento. A vigilância eletrônica de cidades inteligentes deve agregar novas informações e tecnologias para detectar de forma eficiente e com o máximo de precisão possível atos que mereçam acompanhamento e investigação.

Um bom exemplo de monitoração proativa e independente de observação humana é o reconhecimento facial de estudantes e portadores de deficiência que usam passes especiais nos ônibus da cidade de São Paulo. Quando o usuário do benefício aciona a leitora dentro do ônibus sua imagem é enviada para uma central de processamento que compara a foto armazenada com a imagem de quem está na catraca, se a comparação das fotos for positiva a catraca é liberada. Essa tecnologia, conhecida como biometria facial, já detecta várias tentativas de fraudes por dia, evitando perda de receita e educando a população.

A biometria facial é utilizada com sucesso na monitoração de multidões em aeroportos, rodoviárias, passeios públicos, parques e manifestações populares.

O reconhecimento automático de placas de veículos vem ajudando as autoridades a detectar infratores e situação irregular de veículos. Em várias rodovias os policiais param seletivamente motoristas que em situação irregular, aumentando dramaticamente a eficiência da vigilância e garantindo a correta aplicação das sanções legais.

Um aspecto extremamente relevante na vigilância eletrônica é a guarda e confidencialidade das imagens e outras informações relacionadas. O cidadão tem direito à privacidade e não pode ser exposta em público informações sobre suas atividades, a menos que ele ou uma autoridade competente autorize.

Esse é o caso da constante monitoração das nossas informações e localização física, através de geoposicionamento, realizado por empresas que prestam serviços de informações, como o Google, Facebook, Instagram, Foursquare e muitos outros. Nesses casos, quando os usuários fazem a adesão ao serviço concordam em prover esse tipo de informação.

Deixe uma resposta