Prédios e bairros inteligentes e a regulamentação ambiental

Prédios inteligentes são mais efetivos se construídos em bairros inteligentes apoiados por um arcabouço regulatório que promova incentivos fiscais e uma infraestrutura urbana eficiente. Os bairros inteligentes devem prover capacidade de infraestrutura para atender demandas de energia, água, saneamento, transporte, habitação, escolas, segurança, hospitais e sistemas de gerenciamento de incidentes seguindo a legislação ambiental. Quanto maior for a infraestrutura de apoio do bairro e incentivos fiscais maior será a atratividade do local, capturando novos investimentos e talentos profissionais. Continue lendo “Prédios e bairros inteligentes e a regulamentação ambiental”

Indicadores de serviços e qualidade de vida das cidades

Como selecionar uma cidade para instalar uma fábrica, um escritório ou mudar-se para ter melhor qualidade de vida? Para convencer investidores e atrair talentos as cidades devem criar atributos de valor que se destaquem no cenário nacional e internacional, uma vez que a competição é global. A ISO 37.120 que aborda o desenvolvimento sustentável de comunidades definiu 17 áreas temática que somam cerca de 100 indicadores para serviços e qualidade de vida nas cidades. Por ser uma norma internacional estabelece um padrão para comparar o desempenho das cidades e, consequentemente, de seus governantes. O cenário competitivo internacional e a norma acabam definindo um novo paradigma de gestão de cidades. Os planos de governo devem se apoiar no desenvolvimento de programas e projetos para melhorar esses indicadores e criar diferenciais inovadores. Os indicadores são isentos de ideologias políticas e formas de governo, eles são orientados a eficiência de gestão do executivo municipal em definir e executar ações para a população e desenvolvimento econômico com equilíbrio financeiro. Continue lendo “Indicadores de serviços e qualidade de vida das cidades”

As redes sociais educativas em cidades inteligentes

A qualidade de vida está relacionada com o local em que vivemos e dos bons relacionamentos que estabelecemos. As cidades inteligentes devem prover uma infraestrutura e serviços como transporte, saúde, segurança, lazer, cultura e educação para oferecer condições de crescimento humano e profissional, criando uma plataforma econômica para geração de empregos e negócios. A economia é dinâmica e cada vez mais extrapola os limites físicos de cidades, estados e países, emergindo em mundo digital. Os produtos e a mão-de-obra sãos mais valorizadas se agregarem inteligência e uso intensivo da Internet. Entretanto, o desenvolvimento de novos negócios e prosperidade só acontecem com o relacionamento entre as pessoas, mesmo que intermediados por softwares transacionais. Desde cedo, as crianças devem ser inseridas no mundo digital para ampliar as fronteiras físicas de onde moram para conhecer novas realidades, novas culturas e estabelecer relacionamentos multiculturais e transfronteiras. Isso quebra o isolacionismo econômico, cultural e social. Prepara os alunos para desafios globais e transfere as melhores práticas de negócios internacionais para as comunidades locais, independentemente da localização geográfica. As redes sociais educacionais podem desenvolver essa experiência, ajudando inclusive a reduzir as desigualdades sociais, culturais e econômicas. Continue lendo “As redes sociais educativas em cidades inteligentes”

O impacto das redes inteligentes nas cidades

A gestão da geração, transmissão e distribuição de energia vem passando por um processo de digitalização, a exemplo da transformação da telefonia anos. Os antigos medidores analógicos estão sendo substituídos por medidores digitais que permite o gerenciamento remoto, incluindo: medição, corte, religa e monitoração de parâmetros da qualidade da energia. Permite também gerenciar a energia gerada pelos consumidores que possuem autoprodução de energia usando autogeradores eólicos, painéis fotovoltaicos e biomassa. Para as distribuidoras de energia é um grande salto para a eficiência operacional, pois várias atividades que necessitam de equipes de campo serão substituídas por controles remotos. Para os consumidores será uma oportunidade para negociar a compra de energia de acordo com o seu perfil de uso, buscando redução de custos. Para o Poder Público, abre oportunidades para melhorar a gestão energética dos prédios e equipamentos da cidade. Continue lendo “O impacto das redes inteligentes nas cidades”