Maior termelétrica com combustível renovável é inaugurada em São Paulo

A maior termelétrica do Brasil movida a combustível renovável – gás procedente de aterro sanitário – foi inaugurada na última sexta-feira (16), na cidade de Caieiras, na Grande São Paulo. A Termoverde Caieiras tem potência instalada de 29,5 megawatts (MW) e gera energia renovável a partir do lixo depositado em aterro, que libera o gás metano, usado como combustível para a termelétrica. Continue lendo “Maior termelétrica com combustível renovável é inaugurada em São Paulo”

Mobilidade Inteligente

Um dos grandes desafios das cidades é reduzir o tempo de deslocamento das pessoas para o trabalho, lazer e outras atividades pessoais. O trânsito é um grande ofensor de produtividade e de gastos desnecessários de tempo, combustível e poluição do ar, obrigando os gestores das cidades a investirem em estruturas viárias mais complexas, como viadutos e alargamento de vias públicas, ao invés de direcionar esses investimentos para a saúde, educação, segurança, cultura e lazer da população. Felizmente, a tecnologia está ajudando as pessoas a minimizar os efeitos do trânsito descobrindo rotas mais livres entre dois pontos. O aplicativo móvel Waze é um exemplo, traçando rotas mais rápidas entre dois pontos, dinamicamente, através de informações de outras pessoas. Esses aplicativos, usando a velocidade média dos motoristas medida usando seus smartphones, oferecem mais inteligência às cidades. Continue lendo “Mobilidade Inteligente”

Dados abertos é um estímulo ao empreendedorismo nas cidades inteligentes

O conceito de dados aberto parte da ideia que certos dados devem estar disponíveis para que qualquer pessoa possa publicar, redistribuir, reutilizar, processar e incluir em análises sem restrições de direitos autorais, patentes e quaisquer outros mecanismos de controle. O movimento de “dados abertos” ganhou popularidade com a Internet. As principais fontes de dados abertos são: ciência, governo e empresas privadas. Várias tecnologias e práticas de transparência permitem proliferar o conceito de transparência dos dados, como: crowdsourcing, mashups e hacks. O Brasil criou a Lei Federal nº 12.527/2011 que regulamenta o direito constitucional do acesso à informação pública, permitindo que qualquer pessoa, física ou jurídica, sem necessidade de apresentar o motivo, possa requerer o recebimento de informações de entidades e órgãos públicos. Combinando, dados abertos, tecnologias e práticas de transparência é possível criar novos modelos de negócios, estimulando o empreendedorismo e o crescimento econômico nas cidades inteligentes. Continue lendo “Dados abertos é um estímulo ao empreendedorismo nas cidades inteligentes”

Economia compartilhada no turismo pode gerar receita extra para os cidadãos

O avanço da tecnologia aplicada a economia colaborativa, como o modelo de negócios do Uber e Airbnb, pode alavancar o turismo nas cidades inteligentes e gerar rendimentos extras para os cidadãos. Os serviços compartilhados estão modificando o comportamento dos turistas, tanto pela redução dos gastos como na busca de novas experiências de vida e na construção de novos relacionamentos. Os novos modelos de negócios permitem atender a nova expectativa dos turistas, a personalização das viagens. O desafio das cidades inteligentes é regular os serviços compartilhados para oferecer segurança de investimento aos cidadãos e segurança para os turistas. Continue lendo “Economia compartilhada no turismo pode gerar receita extra para os cidadãos”